Para uma melhor experiência neste site, utilize um navegador mais moderno. Clique nas opções abaixo para ir à página de download
Indicamos essas 4 opções:

Google Chrome Opera Mozilla Firefox Microsoft Edge
Ok, estou ciente e quero continuar usando um navegador inferior.

Sigam-me os Bons! Por André Merino

Por André Merino14/09/2022 08h31
El Chapulín Colorado (Chapolin no Brasil) é um seriado de televisão mexicano produzido pela Televisa e exibido entre 1973 e 1979.

“Sigam-me os Bons!”. Durante muitos anos, por diversas vezes, ouvimos essa frase ao assistirmos ao seriado mexicano “Chapolin Colorado”, da turma do Chaves, e sempre me perguntava: quem são os bons?

Certa vez, conversando sobre o comportamento das pessoas nas empresas com um amigo que, na época era gestor, com cerca de 300 colaboradores sob a sua coordenação, não perdi a oportunidade e lancei a pergunta: Quem são os bons? Ele me olhou, como quem não esperava por esse questionamento e, após alguns segundos, me respondeu:

– Eu defino um bom colaborador com três palavras: comprometimento, dedicação e humildade.

Então vamos começar de trás para frente.

O colaborador humilde é aquele que não tem vergonha de dizer que não sabe, não tem receio de assumir que errou e de estar sempre disposto a aprender.

Eu sempre costumo dizer: “eu só tenho vergonha de uma coisa na vida: ter vergonha”, pois estamos num eterno aprendizado e não somos melhores do que ninguém.

Muitas pessoas utilizam de seus cargos nas empresas para minimizar outras e não entendem que elas não são esse cargo, na verdade, elas estão neste cargo.

O cargo é tão somente um nome de um grupo de atribuições e não um “título de nobreza”. Esses tipos de profissionais não percebem que nomes de cargos se mudam da noite para o dia. Eu já vi muitas empresas que, em fase de reestruturação organizacional, alteram totalmente a “nobreza” dos nomes dos cargos.

Um colaborador dedicado é aquele que se entrega a um objetivo de forma intensa e completa. Quando você se dedica está valorizando o seu trabalho. Vale ressaltar que dedicar-se não deve ser confundido com ser melhor que os outros e sim dar o melhor de si.

Quanto ao comprometimento dos colaboradores, esse é um dos maiores desafios dos gestores.

Fala-se muito, atualmente em engajamento. Eu classifico o envolvimento das pessoas em três formas:

Compromisso, comprometimento e engajamento.

Na minha opinião, compromisso é uma responsabilidade assumida em um acordo entre duas partes que deve ser cumprido.

Para mim comprometimento é fazer o inesperado enquanto os demais fazem o esperado, é ter um grau maior de envolvimento. E engajamento é se doar pela causa, é agir e se envolver por um propósito.

Eu uso sempre um exemplo simples para diferenciar os três conceitos: numa relação, compromisso é ficar noivo; comprometimento é casar e engajamento é formar uma família.

Eu observo muito o comportamento das pessoas nas empresas e tenho percebido que a grande maioria não quer se envolver no trabalho, mas estar “envolvida” nos resultados, principalmente nos positivos, é claro.

Pergunto: e você? É compromissado, comprometido ou engajado?

Há poucos dias um gestor me confidenciou:

– “Alguns dos meus colaboradores não estão comprometidos com o projeto, eu dividi com eles o meu sonho e eles parecem não estar nem aí. Só que quando as coisas começam a dar certo, eles aparecem. Aí sim estamos juntos”. Para criar engajamento, é preciso fazer as pessoas comprarem a sua causa, fazê-las se sentirem parte dela.

O nosso sonho nem sempre é o sonho dos outros, nem todos vivem, vêem ou sentem da mesma forma o nosso sonho. Quando acreditamos em algo, só nós sabemos o grau de importância que isso tem para nós. E não estou falando de dinheiro ou fama, estou falando de satisfação. Além de enxergar, é preciso acreditar que é possível. O dramaturgo irlandês, George Bernard Shaw, dizia que “Alguns homens vêem as coisas como são, e perguntam: Por quê? Eu sonho com as coisas que nunca existiram e pergunto: Por que não?”.

Temos que ter ao nosso lado pessoas que acreditem no nosso sonho, remando na mesma direção e sempre em frente. Quem não quiser nos seguir, que fique para trás.

Então, “Sigam-me os bons!”

 

André Merino

www.andremerino.com.br

Críticas e/ou sugestões pelo e-mail: [email protected]  ou WhatsApp:  (13) 99799-8484.

@andremerinopt e @podcastdespertandoinsights

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe essa notícia

VER MAIS NOTÍCIAS