04/12/2019  às 13hs48

Saúde

Tubarão tem 2° caso suspeito de sarampo

Ele está sendo tratado como um caso suspeito. O paciente fez exames e foi medicado, e o caso é investigado pela Vigilância Epidemiológica do município. Este é o segundo caso no bairro. O primeiro foi confirmado com a doença.



Um jovem que frequenta a Unisul em Tubarão apresentou no início da semana sinais e sintomas de sarampo. Ele está sendo tratado como um caso suspeito. O paciente fez exames e foi medicado, e o caso é investigado pela Vigilância Epidemiológica do município. Este é o segundo caso no bairro. O primeiro foi confirmado com a doença.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) orienta que as pessoas que estiveram nas imediações da universidade procurem rapidamente uma unidade básica de saúde para avaliar as cadernetas vacinais e verificar se o esquema de vacinação está completo.

A FMS e a Vigilância iniciaram um processo de bloqueio vacinal na unidade de saúde do bairro, o Sais. Também foi disponibilizada, no Centro de Convivência da Unisul, das 16h às 20h, uma equipe para dar suporte e orientação à população.

“A medida profilática, que temos que tomar em casos suspeitos, é verificar o esquema vacinal das pessoas que passaram pelo local notificado ou tiveram contato com a pessoa doente. E é o que estamos realizando. Salientamos também que a vacina só é feita em quem não está com o esquema completo, porque quem está com as vacinas em dia está protegido”, pontua a gerente de saúde da FMS, Chaiana E. Mendes Marcon.

É importante ressaltar que, mesmo com o término das mobilizações contra o sarampo, as UBS oferecem a dose que protege contra a doença em horário comercial. Na sala de vacina da Policlínica Central, o horário de funcionamento é até as 22h, com distribuição de senhas até as 21h.

Segundo o diretor-presidente da FMS, Daisson Trevisol,  o que podemos fazer neste momento, além do que já estamos fazendo como tratamento e bloqueio vacinal, é alertar a população para que seja vacinada, porque o grande problema é justamente a questão de quem não foi vacinado. “Para se ter uma ideia, a cada caso de sarampo, 14 novos casos podem ser confirmados. A transmissibilidade da doença é muito grande. Agora, se as pessoas forem vacinadas, reduz a quase zero esta possibilidade”, explica.

“Estamos fazendo várias ações de vacinação, de busca ativa das pessoas, mas a responsabilidade tem que partir da própria pessoa, que precisa buscar ser vacinada”, ressalta Daisson.



Caso confirmado


Há pouco mais de duas semanas, um outro caso suspeito de sarampo foi registrado no bairro Dehon. Neste caso, a paciente, que mora em Tubarão e tem 28 anos, teve a doença confirmada. Ela foi avaliada, recebeu cuidados, orientações médicas e o tratamento adequado. “Em caso de suspeita de sarampo, como está acontecendo, a medida recomendada pelo Ministério da Saúde é realizar o bloqueio vacinal em 72h. A ação foi realizada, e as medidas cabíveis de prevenção foram tomadas”, relata o diretor-presidente da FMS, Daisson Trevisol.


04/12/2019  às 13hs48