16/09/2014  às 19hs30 - Atualizado em 16/09/2014  às 19hs38

Esportes

Tigre: vitória para embalar


Foto: Divulgação/Internet

Foto: Divulgação/Internet


Já fazia algum tempo que o torcedor do Criciúma não sabia o que era festejar uma vitória. Desde julho, para ser mais preciso. E agora que ela veio, que seja para embalar. O Tigre fez por merecer o 1x0 sobre o Goiás e tem tudo para emendar duas vitórias seguidas contra Figueirense e Botafogo. Os dois times são adversários diretos e, como já falei em outras oportunidades, o campeonato será decidido agora para o time sul catarinense. Times que estão próximos na tabela de classificação estarão no caminho tricolor até o fim de outubro e a hora propícia para somar pontos é agora. A vitória sobre o Goiás é para embalar de vez.


702 minutos


Mais do que os dez jogos sem vitórias, o que incomodava mais era a seca de gols do Criciúma. Já perdurava desde o 1x1 com o São Paulo, no comecinho de agosto. Quando Luís Felipe balançou as redes, aos 17 minutos do segundo tempo, o Tigre encerrou o jejum de 702 minutos sem marcar gols. Foram 11 horas e 42 minutos sem gritar “gol” no Brasileirão. Por pouco não foi meio dia...


Menos corneta


Quando Luís Felipe fez o gol da vitória criciumense, ele tirou a camisa para comemorar e recebeu o cartão amarelo. O detalhe é que estava pendurado e agora não enfrenta o Figueirense, na quarta (17). Ouvi muitas críticas a ele por causa disso, mas convenhamos, menos corneta, por favor. Eram dez jogos sem vitórias, sete sem marcar gols, lanterna momentânea (o Bahia havia vencido antes), pressão de todos os lados, atuação monumental do goleiro adversário, fora outros fatores. Quando o petardo do lateral entrou, 50 caminhões saíram das costas dos atletas e, principalmente, do torcedor. Ele poderia sair correndo pelado que não haveria problema. O importante era a bola ter entrado.


Preocupante


O goleiro Luiz contundiu o joelho e agora fica a dúvida de quanto tempo ficará no estaleiro. O arqueiro tricolor saiu de campo carregado por Rafael Costa e Cortez, e ainda chorava muito. Muito preocupante e todos ficam na dúvida de quanto tempo pode durar a recuperação. O máximo que podemos fazer é torcer.


Mais preocupante


Pior do que a angústia por não saber quanto tempo Luiz ficará fora é a insegurança que a defesa do Criciúma está transmitindo. Fábio Ferreira não passa a mesma segurança de outrora e Gualberto não mostrou a que veio. Entre os lesionados, Alcides não teve tempo para mostrar muita coisa e Ronaldo Alves provou ser apenas um reserva de alguma confiança. Galatto, que deve ser o substituto de Luiz, não vem demonstrando muita firmeza, mas a insegurança será ainda maior se a defesa não lhe ajudar.


Pranchetigre


No triunfo por 1x0 sobre o Goiás, o técnico Gilmar Dal Pozzo não inventou e escalou o Criciúma no tradicional 4-2-3-1, tendo como novidade Cléber Santana mais recuado. O esquema, na verdade, se aproximava do 4-1-4-1. Outra novidade foi Silvinho jogando aberto na direita e não na esquerda, como era característico. Na etapa final, com as entradas de Ricardinho e Lucca, o esquema se manteve, mas com Santana mais avançado.


Exemplo


O trabalho que Braço do Norte faz no voleibol é exemplo para alguns municípios da região. Em julho, por exemplo, o time feminino disputou a fase final do estadual mirim em Guaraciaba. Quem disputará a mesma etapa agora será a equipe pré-mirim, que neste fim de semana venceu o Grupo A, em jogos realizados justamente em Braço do Norte. Foram quatro jogos e quatro vitórias. Antes disso virá a OLESC, em Criciúma, onde BN também participará. O trabalho feito na cidade é espetacular e merece ser ressaltado.


16/09/2014  às 19hs30