13/12/2019  às 14hs30 - Atualizado em 13/12/2019  às 12hs31

Geral

Sem manutenção, crateras se abrem às margens da SC-390

Problemas estão situados próximo ao loteamento Paraíso, em Orleans, e no distrito de Guatá, em Lauro Müller.


Fotos: Ketully Beltrame

Fotos: Ketully Beltrame


Duas crateras se abriram às margens da SC-390, rodovia estadual que liga Orleans a Lauro Müller, e estão próximas a atingir a pista de rolamento, apresentando risco a quem trafega pelos locais. O primeiro ponto fica situado próximo ao loteamento Paraíso, em Orleans, e o segundo no distrito de Guatá, em Lauro Müller. O problema, que não é recente, já foi repassado por autoridades locais à Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE), mas nenhuma providência foi tomada até o momento.


Por meio de nota, a assessoria de comunicação da SIE respondeu: “Já tivemos conhecimento do problema, porém, ainda não temos um prazo para que seja feita a recuperação do trecho. A SIE está realizando uma análise para obtenção dos recursos para que o problema seja resolvido o mais breve possível”. A SC-390 é a ligação entre a Serra do Rio do Rastro e o litoral e registra um grande fluxo de veículo. Ela desempenha um papel importante ao servir como rota de escoamento da produção e auxiliar no desenvolvimento do turismo de inverno.


Há quase um ano, no dia 20 de dezembro de 2018, foi realizada a solenidade de entrega da obra de recuperação funcional da rodovia SC-390, trecho entre Orleans e Lauro Müller. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura, investiu aproximadamente R$ 7 milhões. Nas obras de revitalização asfáltica, com extensão de 13 quilômetros, foram feitas a recuperação do pavimento, a remoção de alguns pontos e colocação de sobrecapa, além da drenagem da pista, sarjetas e sinalização horizontal e vertical da rodovia.


Pela falta de manutenção, outros problemas no mesmo trecho da rodovia também são registrados. Entre eles, as vegetações às margens da SC-390, que estão cobrindo as placas de sinalização e também entupindo as valas que permitem o escoamento da água. Após o distrito de Guatá e pela extensão da Serra do Rio do Rastro, trecho no qual a recuperação funcional não compreendida na obra inaugurada em 2018, há problemas de buracos na pista, que geram prejuízo aos motoristas e também apresentam risco, tendo em vista que, caso o pneu fure, não há acostamento para que o motorista pare e faça a troca.


"A manutenção rotineira é realizada conforme cronograma da Coordenadoria Regional Sul. Os serviços contemplam roçada, sinalização vertical e horizontal e tapa-buracos e são realizados em todas as rodovias estaduais que abrangem a Coordenadoria", informou a SIE. A coordenadoria regional Sul de Infraestrutura (antigo Departamento Estadual de Infraestrutura, o Deinfra), é responsável pelos municípios da Amrec (12), Amurel (18) e Amesc (15), totalizando 45 cidades.


Redação Notícias JH


13/12/2019  às 14hs30