11/07/2019  às 05hs08

Polícia

Réu é condenado a 24 anos de prisão por feminicídio em Laguna

Vítima foi agredida com um pedaço de madeira na frente dos filhos de dois, três, e 12 anos de idade.




Renato Pedro Demétrio foi condenado a 24 anos de prisão pelo feminicídio de sua ex-companheira, em sessão do Tribunal do Júri da Comarca de Laguna realizada nesta terça-feira, 09. De acordo com a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a vítima, foi morta a pauladas na frente dos filhos de dois, três e 12 anos de idade.


A denúncia do Ministério Público relatou que, em outubro de 2018, inconformado com o término do relacionamento conturbado que mantinha com Camila Silva Alves há cerca de um ano, dirigiu-se até a residência de sua ex-companheira e, na frente dos filhos da vítima, desferiu-lhe golpes com um pedaço de madeira em diversas partes do corpo, inclusive na região da cabeça, causando sua morte.


Conforme sustentou no julgamento o promotor de Justiça André Ghiggi Caetano da Silva, o Conselho de Sentença considerou o réu culpado de homicídio triplamente qualificado pelo motivo fútil, pelo recurso que dificultou a defesa da vítima e pelo feminicídio. Teve, ainda, como causa de aumento de pena, a prática do crime na presença dos filhos da vítima – que possuíam, na época dos fatos, dois, três e 12 anos de idade – e o reconhecimento do meio cruel.


A pena aplicada pelo Juízo do Tribunal do Júri da Comarca de Laguna foi


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADEde 24 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Preso preventivamente desde a fase de investigação do crime, o réu não terá o direito de recorrer em liberdade. A decisão é passível de recurso. (Ação n. 0002534-21.2018.8.24.0040).


Relembre o caso


A ocorrência foi registrada em 16 de outubro de 2018. À época, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar de Laguna foram acionados para atender à uma chamada de violência doméstica, posteriormente tratada como tentativa de homicídio, em Barbacena, Laguna. No local encontraram Camila, caída no chão, inconsciente, apresentando ferimentos na cabeça e nos braços.


Ela apresentava sinais de ter sofrido traumatismo crânio-encefálico e foi encaminhada, primeiramente, ao Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos, em Laguna, e posteriormente para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, de Tubarão. A morte dela foi constada ainda seis dias depois, mas a confirmação oficial foi feita após testes de monitoramento da atividade do cérebro.


O agressor foi localizado pelos policiais, durante rondas ainda no mesmo dia do caso. Ele havia se escondido em um rancho na casa dos pais dele. Na ocasião de sua detenção, a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e ao Idoso (Dpcami) da Polícia Civil de Laguna havia informado que ele tinha passagens anteriores pela polícia.


 


 


Fonte:Agora Laguna.


11/07/2019  às 05hs08