05/12/2019  às 16hs43 - Atualizado em 05/12/2019  às 19hs19

Esportes

Resenha reverte desvantagem e conquista o título do Campeonato Municipal de futebol suíço de São Ludgero

Nas penalidades máximas, o troféu foi alcançado.


Foto: ASCOM – Prefeitura de São Ludgero

Foto: ASCOM – Prefeitura de São Ludgero


Após sofrer uma goleada no primeiro jogo para a equipe da Segunda Show, vencer no tempo regulamentar no segundo e decisivo confronto da final para levar a disputa para as penalidades máximas, era o que a Resenha FC necessitava. E foi justamente o que aconteceu na noite da última quarta-feira, 4, no encerramento do 7º Campeonato Municipal de futebol suíço de São Ludgero - Taça Agostinho Nunes, tendo como palco a Associação Baschirotto.


Antes, porém, valendo o terceiro lugar, a equipe do Bicão derrotou pelo placar de 6 a 4 os Amigos do Nordeste.


NOS PÊNALTIS, DEU RESENHA.


Em seguida, iniciou a disputa do título da competição entre Segunda Show e Resenha FC. A vantagem do empate no tempo regulamentar pertencia a Segunda Show, por ter vencido o ‘primeiro jogo’. Necessitando da vitória, a Resenha iniciou pressionando e não dando espaço, sabendo que bastava uma vitória simples para forçar as penalidades: o único gol da partida foi anotado por Luan e com isso, a Resenha fez 1 a 0. Daí, na marca da cal, triunfo por 3x1 e por conseqüência, o título.


Nas premiações individuais, Joelson (Bicão) com 11 gols anotados foi o artilheiro e João Paulo (Segunda Show) com 15 gols sofridos, o goleiro menos vazado. A edição/2019 foi disputada por 14 equipes.


No ato da premiação, o diretor da Comissão Municipal de Esportes (CME), Edmilson Mores, parabenizou a todas as equipes e os torcedores pelo belíssimo campeonato: “agradecimento a todos que direta e indiretamente, contribuíram para o êxito da competição”, enfatizou.


O HOMENAGEADO.


Agostinho Nunes nasceu em 4 de maio de 1930 na comunidade de Rio dos Bugres, município de Rio Fortuna. É filho de Maria Jesuína de Jesus (in memória) e de Amadeu Matiola (in memória). Ainda muito jovem, começou a trabalhar de carpinteiro e pedreiro no estado vizinho do Rio Grande do Sul. Casou-se com Tereza da Silva Nunes e da união, tiveram 7 filhos: Augusta, Iraci, Rosemeri, Aládio, Aladir, Alair e Márcio. “Seu Agostinho” sempre se preocupou com o bem-estar da família e dos amigos, e após viver em várias cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, no ano de 1990 veio trabalhar em São Ludgero e logo em seguida, buscou os entes queridos no município de Três Barras, Paraná, vindo residir no bairro Madre Teresa em São Ludgero.


Era um apaixonado por futebol, no qual fez o primeiro “campinho” na Beira Rio, onde plantou a grama. Muito conhecido na comunidade, chegou a construir um bar na época, cujo nome era bar do Vô. Já no ano de 2004, para tristeza de muitos, principalmente da família, no mês que completou 74 anos faleceu vítima de um infarto.


 


Colaboração: ASCOM – Prefeitura de São Ludgero.


05/12/2019  às 16hs43