13/07/2018  às 07hs38

Polícia

Polícia apreende mais de 1.000 kg de carne em frigorífico clandestino

O material foi encaminhado para destruição. Dois homens foram presos



Uma operação conjunta entre a Polícia Civil e Militar prendeu em flagrante dois homens pelo abate gados e venda de carne clandestina nesta quinta-feira (12), em Pescaria Brava. As informações chegaram aos órgãos policiais por meio de denúncia anônima.


Além disso, foram apreendidas mais de mil quilos de carne imprópria para consumo. O material foi encaminhado para destruição. O local clandestino foi lacrado. As carnes não eram apenas bovinas, mas também de equinos.


O abate clandestino representa riscos ao consumidor pela ingestão de alimentos de qualidade sanitária suspeita, além de gerar a contaminação do meio ambiente. A carne pode ser considerada clandestina quando não é realizada a fiscalização pelo serviço de inspeção sanitária e quando há sonegação fiscal. O fornecimento de carne não inspecionada prejudica o controle de zoonoses e a segurança alimentar, além de causar uma série de doenças como toxoplasmose, teníase, cisticercose, brucelose e tuberculose.


As denúncias podem ser realizadas nos escritórios da Cidasc, como também em outros órgãos como Polícia Militar, Polícia Ambiental, Polícia Civil e Ministério Público. O consumidor pode reconhecer estabelecimentos e produtos legalizados por meio dos selos de Inspeção Sanitária, tanto municipal, quanto estadual ou federal (SIM, SIE e SIF), que garantem um produto alimentício de origem animal seguro e confiável. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, pela Lei 8.137, a venda e comercialização de produtos impróprios para consumo é crime, com pena de detenção de até cinco anos ou multa.


 


Fonte: Notisul


13/07/2018  às 07hs38