15/07/2020  às 16hs02

Política

"O Jorge é uma pessoa boa, mas está cercado de muita gente má”, avalia Gelson Bolsonaro


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


E para falar sobre política, a Guarujá entrevistou nesta quarta-feira, dia 15, Gelson Bolsonaro, que é coordenador dos trabalhos para homologação do partido Aliança pelo Brasil na região Sul e assessor parlamentar do deputado estadual Jessé Lopes. Na oportunidade, o assessor parlamentar avaliou a atual Administração Municipal, encabeçada pelo prefeito Jorge Koch.


"O Jorge é uma pessoa boa, mas está cercado de muita gente má, inclusive um até esses dias me ameaçou", afirmou. "Eu tenho coragem de fazer uma crítica ao Jorge, de ir lá na Prefeitura, olhar no olho dele e dizer e repetir o que eu falei. Porque a crítica que eu faço não é politiqueira, não é corriqueira. São críticas que poderão ser construtivas. Mas, infelizmente, o Jorge, até hoje, não aceitou nenhuma das críticas que eu fiz. A gente tentou de várias maneiras ajudar o Jorge, mas as pessoas por trás, que cercam o Jorge, acabam estragando".


Segundo ele, por este motivo, sua opção para as eleições municipais 2020 é pelos pré-candidatos a prefeito e vice pelo PSD, delegado Ulisses Gabriel e vereador Lucas Librelato. "O novo de essência para mim tem cheiro de Ulisses e Lucas e, se tiver errado, eu vou cobrar. O que eu posso prometer para o cidadão orleanense é que o fato de eu estar apoiando, por exemplo, a chapa do Ulisses e Lucas não significa que eu estou apenas apoiando, significa que eu vou estar cobrando o teu direito e o meu direito. E eles vão arrumar para a cabeça também se um dia eles derem um deslize, que eu creio que eles não vão fazer nada, que eles têm muita bagagem de gestão", ressaltou.


Na oportunidade, Gelson falou sobre os trabalhos junto ao deputado estadual Jessé Lopes. "Nosso gabinete é o mais enxuto de Santa Catarina, o mais econômico. Tecnicamente, hoje, a gente trabalha com dois assessores externos que viajam, eu e mais um, mais uma equipe enxuta do gabinete, mais algumas pessoas. A gente trabalha bem enxuto mesmo, economizando dinheiro público. A gente não pega diária. Jessé se recusou também a pegar o carro, combustível e auxílio moradia. Ele provém do próprio salário", afirmou.


Além disso, Gelson citou as melhorias que indicou para a região. "Eu fiz a indicação pro nosso hospital Santa Otília de uma emenda impositiva no valor de R$ 220 mil; para a escola Costa Carneiro, de R$ 110 mil ou R$ 120 mil, se não me falha a memória; um ônibus para Bom Jardim da Serra; para o hospital também de Lauro Müller, que receberá um apoio; para Urussanga também de R$ 220 mil. A gente fez um picadão para a nossa região através das emendas impositivas do Jessé, para ser comtemplada nos próximos dois ou três meses".


Outro assunto abordado foi a questão dos trabalhos do partido Aliança pelo Brasil no Sul do estado. "Nós somos a equipe de trabalho que mais está na frente em Santa Catarina", afirmou. "É uma honra dizer que tenho a equipe mais produtiva do Sul do país. São quase 50 cidade que temos parceiros, militantes, que produziram quase 70% das assinaturas atuais de Santa Catarina. Estamos trabalhando duro. Não posso fazer esse trabalho durante o meu trabalho, o qual eu exerço a função de assessor parlamentar, mas eu doo o meu sábado e meu domingo", contou.


Confira a entrevista nesta link.


15/07/2020  às 16hs02