17/10/2019  às 07hs04 - Atualizado em 17/10/2019  às 07hs25

Geral

Lideranças conseguem adiar edital dos pedágios

Os membros do Fórum Parlamentar Catarinense estiveram reunidos com o diretor-geral da Associação Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues, para cobrar soluções.



A instalação de quatro praças de pedágio no trecho Sul da BR-101 voltou a ser debatida ontem. Os membros do Fórum Parlamentar Catarinense estiveram reunidos com o diretor-geral da Associação Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues, para cobrar soluções.

O diretor-geral da ANTT, Mário Rodrigues, se comprometeu em não publicar o edital de licitação, que seria publicado nos próximos dias, até que deputados e senadores se reúnam com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Durante a audiência, o deputado federal Daniel Freitas criticou a falta de transparência dos governos anteriores no projeto de concessão, sem ouvir a população. “O Sul catarinense já havia manifestado insatisfação com a instalação das praças de pedágio, que, durante as audiências públicas
realizadas anteriormente, foram apresentadas de forma já oficial, sem a possibilidade de alterações”, pontua o parlamentar.

O deputado estadual Volnei Weber foi o pioneiro na luta contra a implantação de quatro praças de pedágio no trecho Sul da BR-101. Ele foi autor da proposta aprovada pela Comissão de Transportes da Alesc e da moção, aprovada em Plenário, apelando ao presidente da República que se posicione contra a instalação dos quatro pedágios. “Conseguimos com que o lançamento do edital fosse adiado até realizarmos uma audiência com o ministro dos Transportes. Temos esperanças que iremos conseguir um reestudo do processo para que tenhamos uma adequação ou equiparação com o Norte do Estado”, explica.

 Uma das reclamações é de que os pedágios ficariam em uma distância menor do que em outras regiões do Estado. São 152 quilômetros de São João do Sul até Laguna, no Norte (do Estado), e as praças ficam a cerca de 100 quilômetros de distância uma da outra.

O prefeito de Tubarão e presidente da Fecam, Joares Ponticelli, diz que foi enfatizado nesta reunião que o Sul não aceitará as condições deste edital, e, se for necessário, lutará para que seja reiniciado todo o processo de pedágio.

“Não temos como aceitar. Não é possível explicar em Santa Catarina diferenças tão brutais de valores e número de praças entre o trecho Norte e o Sul. Portanto, nada vai acontecer até que seja marcada esta audiência com o ministro, que é quem pode efetivamente parar o processo e, a partir daí, reiniciá-lo, se for necessário. Pedágio sim, mas de forma justa”, ressalta.


 


Manifestações irão ocorrer


No sábado, está programada uma manifestação contra a forma de instalação dos pedágios, na cabeceira da ponte Anita Garibaldi, em Laguna, a partir das 9h, organizada pelo Movimento de Direita da Amurel. O deputado estadual Volvei Weber também agendou uma audiência pública para o dia 8 de novembro, na Arena Multiuso Estêner Soratto da Silva, em Tubarão.


 


Fonte: Diário do Sul


17/10/2019  às 07hs04