18/06/2020  às 09hs52

Geral

Estado reafirma a SC-440, de Urussanga, como estrada municipal

Secretaria Municipal de Saúde alerta para a faixa etária acima dos 60 anos que faz parte do grupo de risco. Todos os óbitos registrados em Criciúma foram de idosos com histórico de comorbidades.


Foto: Lucas Colombo / TN

Foto: Lucas Colombo / TN


Os dados da terceira e quarta etapas da pesquisa cientifica encomendada pela Administração Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, em parceria com a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), apontaram queda no número de contaminados por Covid-19 em Criciúma, em relação à segunda etapa. Ao longo da pesquisa, foram coletadas duas mil amostras no município em quatro etapas, sendo 500 testes feitos em cada uma das fases.


Na primeira etapa, foram detectados 11 casos. Na segunda fase, houve um aumento e foram registrados 40 infectados. Na terceira, número de novos contaminados caiu para 12 e na quarta etapa foram registrados sete casos. A última etapa da pesquisa divulgada foi feita nos bairros Quarta Linha, São Sebastião, Michel, Argentina, Floresta I, Santa Luzia e Renascer.


Apesar da diminuição, a preocupação deve ser mantida visto que todos os 10 óbitos registrados no município até o momento foram de idosos com histórico de diabetes hipertensão, portadores de doenças cardíacas, pulmonares e renais, em tratamento para alguma doença autoimune, câncer ou outras comorbidades.


Assim, a Secretaria Municipal de Saúde alerta para que a população, em especial as pessoas acima de 60 anos, siga corretamente as orientações dos órgãos de saúde, como o uso correto de máscaras e higienização das mãos. “É importante que esse grupo de risco fique em casa”, reforçou o secretário de Saúde, Acélio Casagrande.


Além disso, do total de infectados em Criciúma, 19,7% são pessoas acima dos 60 anos, o que representa o segundo maior grupo de contaminados no munícipio. Os idosos só ficam atrás dos adultos (faixa-etária de 20 a 59 anos), no qual são 73,6% do total de casos confirmados.


De acordo com o informe da Vigilância Epidemiológico desta terça-feira (16), 5,7 mil amostras para análise já foram coletas em Criciúma. Dessas, mais de 4,5 mil foram descartadas e 524 casos confirmados. Os recuperados chegam a 403 e pouco mais de 100 casos são considerados ativos no momento.


Fonte: TN Sul.


18/06/2020  às 09hs52