26/01/2015  às 08hs32 - Atualizado em 26/01/2015  às 08hs58

Geral

Barra do Camacho precisa de obras

O canal sofre influência constante das marés, do vento e do volume de águas do Rio Tubarão


Foto: Cidasc

Foto: Cidasc

“A Barra do Camacho, em Jaguaruna é um grande extravasor de águas da bacia do Rio Congonhas, que agoniza”, destaca o gerente regional da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Claudemir de Souza dos Santos e coordenador da comissão de acompanhamento dos projetos para manutenção da calha do Rio Tubarão.

Conforme estudos a barra localizada à beira mar sofre constantemente ações do tempo, do vento e influência das marés. “Para que o local possa realmente cumprir com sua função, tem que haver intervenção do homem”, afirma Claudemir.

O local é de extrema importância para a região, ao ser o único caminho de saída do Rio Congonhas, de Tubarão. “A função da barra ficou muito bem demostrada em 1974 quando ocorreu a grande enchente da Cidade Azul, quando a saída do canal foi alongada em 700 metros de boca. Agora a mesma saída está com apenas 60 metros. Seu papel é fundamental para o escoamento das águas do Rio Tubarão”, descreve Claudemir.

O coordenador relata que por cinco vezes a Cidasc abriu a barra. “A primeira vez foi 1995, depois em 1997, 2000, 2005 e por último 2007. Desde então, nenhuma outra instituição ou poder público realizou qualquer obra no local”, conta Claudemir.

Notisul


26/01/2015  às 08hs32