01/07/2020  às 11hs20

Geral

20 mil casas estão sem energia elétrica no Sul catarinense

Zulnei Casagrande, chefe da divisão técnica do Núcleo Sul da Celesc, afirmou que apenas em Criciúma são mais de 2700 casas sem luz no momento.



Ao menos 20 mil casas estão sem energia elétrica na manhã dessa quarta-feiram dia 1º, no Sul de Santa Catarina. A região ainda enfrenta os impactos causados pelo ciclone extra-tropical, que atinge o estado desde ontem. A tendência é que a situação só comece a se normalizar a partir do próximo domingo.


A Central Elétrica de Santa Catarina (Celesc) vai tendo um trabalho incansável para o reestabelecimento da energia. “As equipes estão prestando os atendimentos na medida do possível. Os pedidos chegam aos milhares, nós vamos atendendo por ordem de prioridade e de impacto”, relata o chefe da divisão técnica do Núcleo Sul da Celesc, Zulnei Casagrande.


Ele detalhou que apenas em Criciúma são mais de 2700 residências sem luz. Esse número se amplia para ao menos 20 mil, ao considerar toda a área atendida pelo Núcleo Sul. Os piores cenários estão em Lauro Müller e Orleans, onde praticamente toda a totalidade dos municípios estão no escuro.


“Lauro Müller está toda sem energia. Lá tem uma linha de quase 20 km que percorre as montanhas, é de difícil acesso, muita vegetação e foi justamente onde observamos a maior força do vento. Por isso o pior cenário é ali, em Orleans, Siderópolis e todo aquele costão da Serra, que foi onde vimos os estragos mais fortes”, informa.


Em comparação com o restante do estado, os números de Criciúma ainda podem ser considerados baixos. “A nível de Santa Catarina temos no momento 715 mil unidades consumidoras sem energia. Pelo menos em Criciúma as coisas estão migrando para a normalidade em termos de incremento de ocorrências. Os trabalhos muito provavelmente seguirão até o próximo domingo, porque a devastação é grande”, arremata Casagrande.


O chefe do Núcleo Sul da Celesc afirmou ainda que também foram registrados estragos no extremo sul, nos municípios de Santa Rosa do Sul, Sombrio e Araranguá. “Está generalizado. Podemos dizer que estão todos no mesmo pacote”, conclui.


Fonte: TN Sul.


01/07/2020  às 11hs20